Tércio Pereira planeja morar por dois anos na Itália (Foto: Evandro Possatto)
+Eventos

Tércio Pereira: professor do Instituto Anelo agora é cidadão italiano

O Instituto Anelo fará uma live internacional no dia 28 de agosto de 2021 (sábado), às 17 horas, no perfil da instituição no Instagram.

Essa live será um bate-papo entre o fundador e coordenador geral do Anelo, Luccas Soares, e o músico Tércio Pereira, professor do Anelo e, desde 13 de agosto, cidadão italiano – trineto de imigrante, em maio deste ano ele se mudou para a cidade de Arcevia, na Itália, para concluir o processo de cidadania iniciado no Brasil.

O tema do bate-papo será, justamente, mais essa importante conquista na trajetória de Tércio Pereira, 42 anos, negro e morador do DIC – Distrito Industrial de Campinas que teve sua vida transformada pela música.

Saxofonista, flautista e pedagogo, ele chegou ao Anelo em 2001, nos primórdios do projeto, e deixou uma posição vitalícia na Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), onde trabalhou por 12 anos, para se dedicar 100% à música, tanto como instrumentista quanto como educador musical.

Em sua formação constam passagens pela Unibanda, posteriormente chamada de Escola Livre de Música (ELM), ligada à Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); pelo Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, de Tatuí (SP); e Faculdade Souza Lima, em São Paulo, Capital. Também é graduado em Pedagogia pela Faculdade Anhanguera de Campinas.

Mas, como começou essa história de cidadania italiana?

Em 2015, quando o Instituto Anelo iniciou uma parceria com o Arcevia Jazz Feast, seminário de jazz e improvisação realizado anualmente na cidade italiana de Arcevia, Tércio fez parte do primeiro grupo da instituição a participar do evento.

“Após ter vivenciado todo o processo do festival, fiquei muito encantado, deu aquela vontade de aprender muito mais sobre a cultura da Itália. Isso acendeu uma chama de um dia poder ser um cidadão italiano, pois havia escutado histórias sobre minha avó paterna ser filha de italiano”, conta.

Em 2016, Tércio teve a oportunidade de voltar a Arcevia, desta vez acompanhado por sua então companheira e hoje esposa, Suelen Lourenço.

“Com o retorno à Itália e a participação no Arcevia Jazz Feast, acabei criando alguns vínculos com professores, moradores e participantes do festival. Além disso, o tour que fizemos por Roma, Florença, Pisa e Milão me fez gostar mais ainda do país. E esses lugares muito bonitos, cheios de cultura, acenderam novamente aquele sonho em reconhecer minha cidadania”, diz Tércio.

A partir de sua árvore genealógica, ele constatou que, na realidade, seu trisavô era nascido na Itália. De forma que decidiu ir em frente e investiu tempo e dinheiro (obtido com muito trabalho e com o desapego de todo tipo de bens materiais) para fazer tudo como se deve e chegar na Europa com tudo encaminhado – o processo final de obtenção da cidadania inclui morar por um período determinado na Itália.

O processo não foi fácil, com muitos perrengues pelo caminho. Tércio teve, por exemplo, de viajar em diversas ocasiões para cidades como Capivari, Porto Feliz e Sorocaba em busca de certidões das mais diversas, já que, em algumas vezes, esbarrou em portas fechadas. Além disso, pediu a ajuda de amigos pela internet para conseguir uma pessoa para buscar documentos do trisavô na cidade de Cavarzere, na região do Vêneto, entre outras ações. Ou seja: haja determinação.

Nem a pandemia da Covid-19 tirou o foco de Tércio. Seu sonho também passou a ser o sonho de sua parceira Suelen e, em outubro de 2020, os dois decidiram oficializar o casamento para que ela, futuramente, também se tornasse elegível à cidadania.

Pois com as primeiras notícias de que algumas fronteiras seriam abertas, resolveram, enfim, partir para a Europa. No dia 2 de dezembro, o casal desembarcou em Londres, na Inglaterra, para cumprir o período obrigatório de 14 dias de quarentena antes de viajar rumo ao destino final.

Tércio e Suelen no frio de Londres (Acervo Pessoal)

Acabaram ficando por lá por cinco meses, período em que os dois trabalharam como entregadores, usando bicicletas alugadas, para incrementar a renda e o inglês, que começaram a estudar no Brasil.

Tércio conta que chegou a fazer três shows na cidade com um grupo de samba, o que lhe rendeu um bom dinheiro extra para ser levado à Itália. Também encarou perrengues por conta do frio e até mesmo por atitudes de pessoas mal-intencionadas.

Passado esse período na Inglaterra, graças aos contatos cultivados por Tércio em Arcevia, o casal se instalou na cidade italiana e o músico deu início à etapa final dos trâmites para a obtenção da cidadania. Entre a chegada à cidade e a notícia de que era, enfim, um cidadão italiano, Tércio voltou a representar o Instituto Anelo no Arcevia Jazz Feast, cuja edição de 2021 ocorreu entre os dias 26 de julho e 1º de agosto.

O músico afirma que sua intenção é ficar por pelo menos dois anos na Itália. Seu próximo destino no país deverá ser a cidade de Milão, onde já tem alguns convites para trabalhar. No futuro, sua ideia é experimentar a vida em outros países. Mas, se tudo correr bem e caso ainda não tenha um emprego fixo, ele e Suelen querem vir ao Brasil no Carnaval de 2022 – ele conta que tem agenda para tocar, caso os eventos sejam liberados.

Além disso, quer visitar a mãe e o filho, Gustavo, fruto de um casamento anterior e de quem sente muita saudade. “Converso com ele quase todos os dias explicando a necessidade e o real motivo de ter vindo para a Itália, que é abrir as portas para um futuro melhor para nós e para ele.”

E completa: “Deixamos as coisas no Brasil bem resolvidas, porém é bom nos mantermos conectados para ver se está correndo tudo bem. Tenho um imóvel que está alugado, então, teremos que, na medida do possível, nos deslocar para algumas coisas pessoais. Mas, a princípio, queremos morar por aqui e voltar ao Brasil para visitar e tirar umas férias. Esse é nosso pensamento inicial. Nosso sonho é morar e nos estabilizar por aqui”.

Suelen, por sua vez, conta que está gostando muito e que a experiência é única. “Muitas coisas novas que não imaginava viver. É um frio na barriga mas, mesmo com medo, a gente sente vontade de ver o próximo capítulo. Nos nossos planos para a viagem decidimos que seria nossa lua de mel. Conhecemos muitos lugares lindos e maravilhosos, o sonho que era dele se tornou nosso. O que sinto de tudo que estou vivendo se define em uma única palavra: gratidão!”

Tércio e Suelen em Arcevia, na Itália (Acervo Pessoal)

UMA PESSOA DETERMINADA

De acordo com Luccas Soares, desde que Tércio Pereira chegou ao Instituto Anelo, em 2001, ele sempre mostrou muita garra e determinação. Para o coordenador, o agora cidadão italiano é uma pessoa que se dedica ao máximo para que as coisas deem certo.

Como exemplo disso, ele lembra a campanha que realizaram para ir à Itália pela primeira vez, em 2015. “Não foi fácil”, lembra Luccas, citando desde o processo para tirar o passaporte, até iniciativas como vender pizza com o objetivo de conseguir comprar as passagens. “Ele sempre foi ‘carudo’, de enfrentar”, afirma.

“O Tércio é uma das pessoas mais esforçadas que conheci nesses 21 anos de Anelo. Uma pessoa muito do bem, de coração muito bom. É um cara que topa tanto ir a um restaurante muito chique como comer uma marmita na rua, se precisar. É de uma simplicidade e de um bom gosto ao mesmo tempo. Admiro muito essa coragem dele de enfrentar tudo isso em busca de uma vida melhor, não só pra ele, mas para o filho, para a esposa e para as próximas gerações da família”, diz Luccas.

PATROCÍNIO

O projeto Instituto Anelo: Música e Cidadania – Plano Anual 2021 tem como patrocinadora master a CPFL Energia, por meio de parceria com o Instituto CPFL, e também conta com patrocínio da Unimed Campinas, Amphenol e Stoller, via Lei Federal de Incentivo à Cultura e Programa de Ação Cultural – ProAC/ICMS. O Instituto Anelo também conta com o apoio da Associação Beneficente Maria e Tsu Hung Sieh e do Instituto Robert Bosch.

SERVIÇO

Live internacional – Bate-papo entre Luccas Soares e Tércio Pereira
Data: 28 de agosto de 2021 (SÁBADO)
Horário: 17 horas
Onde: Instagram (@institutoanelo)