blank

Festival Transforma 2023: três dias de shows e workshops gratuitos na periferia de Campinas

blank

 

  • Entre os convidados estão a cantora italiana Susanna Stivali; os guitarristas Beto Kobayashi e Miche Leme; o trompetista Diego Garbin e o percussionista Léo Rodrigues.

Três dias de intensa agenda de shows e workshops gratuitos. Assim será o Festival Transforma 2023, evento que chega à sua quarta edição entre os dias 6 e 8 de outubro, no Jardim Florence, periferia de Campinas (SP). A realização é do Instituto Anelo, associação sem fins lucrativos que há 23 anos oferece aulas de música no Distrito do Campo Grande.

A programação do festival vai ocupar a sede do Anelo e também as instalações do CEU Florence – Mestre Alceu. Contará com a participação de nomes de destaque no cenário musical brasileiro e de arte-educadores reconhecidos em seu campo de atuação, além de uma convidada internacional: a cantora e compositora italiana de jazz Susanna Stivali.

blank

Parceira do Instituto Anelo desde 2015, Susanna, que também é professora, estará à frente de três atividades: uma oficina sobre Práticas de Banda Avançadas; uma apresentação com a participação dos alunos do workshop; e um show acompanhada pelo Anelo 6teto, um dos grupos artísticos ligados à instituição campineira e com o qual ela já teve a oportunidade de colaborar em shows e gravação.

Além de Susanna e Anelo 6teto, outros nomes confirmados no Transforma 2023 são: os guitarristas Beto Kobayashi e Michel Leme; as arte-educadoras Ciça Baradel, Silmara Drezza, Maressa Manfre e Talita Bianchini; o trompetista Diego Garbin; a violinista Shinobu Saito; o pianista Rafael dos Santos; o percussionista Léo Rodrigues; o coletivo Patuscanto; e os grupos Edu Guimarães Quarteto, Trio Mangabeira, Pretas & Pretos e Orquestra Anelo (confira abaixo a programação e o currículo dos convidados).

O Festival Transforma 2023 é um projeto realizado com o patrocínio da Prefeitura Municipal de Campinas, Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e do Fundo de Investimentos Culturais de Campinas – FICC 2022. A participação de Susanna Stivali tem apoio do governo italiano por meio do projeto Jazz IT Abroad do Ministério das Relações Exteriores e de Cooperação Internacional (Ministero degli Affari Esteri e della Cooperazione Internazionale) e Itália Music Export.

 

Aposta no aprendizado pela prática

Lucas Bohn, coordenador do festival, explica que o Transforma 2023 aposta no protagonismo dos alunos não só nas oficinas, mas também no palco. Segundo ele, o principal enfoque da organização foi o aprendizado pela prática, e o público vai colher os frutos disso em algumas das apresentações.

“Os alunos que participarem ativamente das oficinas de prática de banda com Beto Kobayashi e Susanna Stivali, bem como os alunos que trabalharão com Diego Garbin, apresentarão concertos baseados no repertório trabalhado nos workshops. Claro que, além da presença dos alunos, contaremos com shows de grandes músicos. Temos certeza de que será uma grande oportunidade tanto para quem toca um instrumento quanto para quem ama a música”, diz.

Para ele, é muito significativo que esse evento seja patrocinado pela Prefeitura, por meio dessa ferramenta super importante para a cultura de Campinas, que é o FICC. “Primeiro, porque traz para a periferia de Campinas o acesso à arte de uma maneira profunda”, afirma o coordenador.

E completa: “No Instituto Anelo, acreditamos que a música transforma. Essa não é somente uma frase de impacto, de marketing, mas está no cerne de quem somos, da nossa história, no dia a dia da instituição. Trazer, por meio dessa imprescindível ferramenta, artistas de grande importância na cena para perto daqueles que buscam a música ou que simplesmente a apreciam, em um local muitas vezes preterido, é, sem dúvida, transformador. Além disso, é um passo na direção do fomento da economia dos que produzem cultura numa região muitas vezes esquecida neste sentido.”

Vale ressaltar que as oficinas do Transforma 2023 são voltadas especialmente para os alunos do Instituto Anelo, que já vêm trabalhando o material dos workshops em sala de aula ao longo do ano letivo. Porém, qualquer pessoa interessada poderá acompanhar as atividades como ouvinte, sem a necessidade de fazer a inscrição antecipadamente – basta chegar ao local e horário indicados.

 

Festival começou em plena pandemia

Criado em 2020, em plena pandemia da Covid-19, o Festival Transforma teve sua primeira edição 100% online, no formato de lives com professores e convidados especiais. Em 2021, o evento foi híbrido. Ou seja: mesclou a exibição de apresentações gravadas, conforme as normas sanitárias vigentes à época, de nomes como Sérgio Britto (Titãs), Filó Machado e Mateus Sartori, sempre acompanhados de músicos do Anelo, com lives voltadas a temas pertinentes à educação musical. Tudo no canal do Instituto no YouTube.

Em 2022, pela primeira vez, o Transforma foi totalmente presencial, numa edição que contou com a participação de nomes como Walmir Borges, importante expoente da música preta brasileira; Ricardo Matsuda, um dos instrumentistas mais respeitados de Campinas; e Shinobu Saito, que volta ao evento agora em 2023, entre outros.

 

ANOTE NA AGENDA

Festival Transforma 2023

Data: De 6 e 8 de outubro (SEXTA a DOMINGO)

Onde: Instituto Anelo (Rua Vicente de Marchi, 718, Jardim Florence, Campinas-SP) e CEU Florence – Mestre Alceu (Rua Lasar Segall, 110, Jardim Florence, Campinas-SP)

Entrada gratuita (tanto para os shows quanto para as oficinas)

Observação: Não há necessidade de realizar inscrição para as oficinas. Porém, quem não for aluno do Anelo, participará como ouvinte (os alunos já têm trabalhado o material dos workshops em sala de aula).

 

PROGRAMAÇÃO

  • Dia 6/10/2023 (SEXTA-FEIRA)

OFICINAS

Progressões Típicas para instrumentos harmônico/melódicos

Com: Beto Kobayashi

Horário: Das 14h30 às 16h30

Local: Auditório do Instituto Anelo

 

Prática de Banda Iniciante

Com: Beto Kobayashi

Horário: Das 16h30 às 18h30

Local: Auditório do Instituto Anelo

 

SHOWS

Michel Leme + Trio Mangabeira

Horário: 19h

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

Grupo Pretas & Pretos

Horário: 20h

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

  • Dia 7/10/2023 (SÁBADO)

OFICINAS

Fabricando Música

Com: Maressa Manfre e Talita Bianchini

Horário: 8h às 10h

Local: Auditório CEU Florence – Mestre Alceu

 

Orquestra de Cordas

Com: Shinobu Saito

Horário: 9h às 11h

Local: Auditório do Instituto Anelo

 

Práticas de Banda Avançadas

Com: Susanna Stivali

Horário: Das 11h às 13h

Local: Auditório do Instituto Anelo

 

Orquestra de Sopros

Com: Diego Garbin

Horário: Das 14h às 16h

Local: Auditório do Instituto Anelo

 

Vivência Musical com os Pais

Com: Ciça Baradel

Horário: Das 16h30 às 18h

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

Introdução à Improvisação

Com: Diego Garbin

Horário: Das 16h30 às 18h30

Local: Auditório do Instituto Anelo

 

Percussão e Bateria

Com: Léo Rodrigues

Horário: Das 16h30 às 18h30

Local: Sala Multiuso 2 do CEU Florence – Mestre Alceu

 

SHOWS

Patuscanto

Horário: 10h30

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

Edu Guimarães Quarteto

Horário: 14h

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

Prática de Banda com Beto Kobayashi

Horário: 18h30

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

Prática de Banda com Susanna Stivali

Horário: 20h

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

  • Dia 8/10/2023 (DOMINGO)

OFICINA

Coral

Com: Silmara Drezza

Horário: Das 8h às 10h

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

SHOWS

Susanna Stivali & Anelo 6teto

Horário: 10h30

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

Mini Orquestra com Shinobu Saito & Rafael dos Santos

Horário: 13h

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

Orquestra de Sopros com Diego Garbin

Horário: 15h

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

Orquestra Anelo

Horário: 16h30

Local: Auditório do CEU Florence – Mestre Alceu

 

BREVE CURRÍCULO DOS CONVIDADOS

Beto Kobayashi – Guitarrista, violonista, baixista, cantor, baterista, produtor e arranjador. Iniciou seus estudos na música em 1992, com o músico Ricardo Matsuda. Em 2000, ingressou na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde se formou bacharel em Música Popular no instrumento guitarra. Trabalhou durante dez anos como músico de estúdio no SM Estúdio. Lançou dois discos solo: “Sal e Açúcar” (2008) e “A Alma da sua História” (2012). Também participou do álbum de música instrumental do Projeto Pendulum, intitulado “Impermanência” (2014). Ao longo de sua carreira, participou de vários festivais como Guitar Player IG & T Festival, Juca Jazz e Festival de Jazz e Blues de São Lourenço, e colaborou com projetos e artistas como Rodrigo Duarte Quarteto, Drop4 e Orquestra Rock. É professor de música no Colégio  Notre Dame, na escola Caixinha de Músicos e na School of Rock, todos em Campinas.

 

Ciça Baradel – Cantora, é bacharel em Música Popular pela Unicamp. Estudou piano, flauta doce, violão e canto; escreve poemas, dança e compõe. Já fez turnê com as óperas “A Moreninha” e “O Empresário”, tendo participado de várias gravações de trilhas sonoras. Atuou como coralista e solista de big band, professora e, atualmente, é regente. Ao longo de seus 36 anos como professora, deu aula para nomes como os cantores Sandy e Júnior e a cantora e compositora Marisa Molchansky, a Brisa. Ganhou a Medalha Carlos Gomes pelos feitos artísticos em Campinas. Hoje, ela é cidadã morungabense.

 

Diego Garbin – Trompetista, arranjador e compositor, é formado pelo Conservatório de Tatuí, sendo atualmente professor e coordenador da Big Band na mesma instituição. Tem se destacado na cena instrumental brasileira como solista/improvisador. Já se apresentou e gravou ao lado de grandes nomes da música brasileira, tais como André Marques, Toninho Horta, Nelson Ayres, Louise Wooley, Salomão Soares, Paulo Almeida, Gaia Wilmer, Itiberê Zwarg, Hermeto Pascoal, Hamilton de Holanda, Trio Corrente, Nailor Proveta e Egberto Gismonti, entre outros. Já se apresentou em diversos festivais pelo Brasil e também em países como Japão, Suíça, Austrália, Coreia do Sul, Argentina e Uruguai. Integra a Hermeto Pascoal Big Band, tendo participado da gravação do álbum “Natureza Universal”, vencedor do Grammy Latino em 2018 na categoria de melhor álbum de jazz latino. Lançou o disco “Refúgio” (2019) e, mais recentemente, o EP “Raízes”, ao lado do seu septeto e que conta com a participação de Nailor Proveta no clarinete e Michael Pipoquinha no contrabaixo.

 

Edu Guimarães Quarteto – Formado por Bruna Cassou (bateria), Edu Guimarães (sanfona), Gustavo Medeiros (guitarra) e Ramon Del Pino (contrabaixo acústico e elétrico), o grupo apresenta o show “Músicos e Poetas”, com um repertório que passeia pelo samba-afro, samba, choro e jazz, com releituras e influências de grandes nomes da música instrumental, como Hermeto Pascoal, Dominguinhos, Sivuca, Jack Lowrence e Walter Gross, além de composições próprias. A proposta traz ainda uma mescla de poesias que são declamadas pelos músicos ou por artistas convidados. A seleção dá preferência a escritores brasileiros como Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Manoel de Barros e cordéis, mas mantém-se aberta às propostas trazidas pelos convidados. Essa mistura delicada, que conta com a inspiração do improviso musical e com uma dose de surpresa dos poemas de cada dia, cria um clima de intimidade entre os artistas, a arte e a platéia, transformando cada show em uma experiência única.

 

Léo Rodrigues Moreira da Silva – Iniciou sua jornada no universo da música aos 18 anos, em 2002, quando se envolveu nas rodas de choro e samba na cidade de São Paulo. Rapidamente, embarcou em sua formação musical ao ingressar como aluno no Instituto Brincante, também na capital paulista. Logo recebeu um convite que marcaria o início de sua trajetória musical. Tornou-se integrante do grupo de sapateado Trupe da Pé, no qual atuou como sapateador e percussionista em diversos espetáculos. No ano de 2004, ingressou no curso de Percussão Popular na Fundação das Artes de São Caetano do Sul. Em 2007, fundou o quarteto Roda de Choro, um dos grupos mais destacados no cenário do choro brasileiro e que já dividiu o palco com nomes como Toninho Ferragutti, Ricardo Herz, Nelson Ayres, Carlos Malta, Gabriel Grossi, Alessandro Penezzi, Danilo Brito e Laércio de Freitas. Foi músico residente no programa “Sr. Brasil”, da TV Cultura, e fez parte, por dez anos, da banda do cantor e instrumentista Antônio Nóbrega. Também acompanhou a cantora Elba Ramalho. Tem carreira de destaque como professor e é o criador e diretor da Orquestra Platinelas de Pandeiro.

 

Maressa Manfre e Talita Bianchini – Criadoras do “Fabricando Música”, projeto que desenvolve conteúdo de Educação Musical para professores, pais e crianças. Formadas em Música, Educação Artística e Psicologia, acreditam numa experiência prazerosa com a música, vivenciando-a com todo o corpo.

Com quase 20 anos de experiência em Musicalização Infantil e Canto Coral, as idealizadoras desenvolveram uma metodologia que engloba técnicas dos grandes estudiosos da Educação Musical, como Orff, Dalcroze e Kodally, adequando-as para a realidade escolar. Além de trabalhar as características psicomotoras, cognitiva e linguística, as atividades desenvolvidas visam colaborar no desenvolvimento socioafetivo da criança, além de auxiliá-la a desenvolver a criatividade, a sensibilidade, o ritmo, a imaginação, concentração, memória e, principalmente, o prazer pela música.

 

Michel Leme + Trio Mangabeira – Dotado de um talento indiscutível e um estilo inconfundível de tocar guitarra, Michel Leme é um dos artistas mais honestos e hard workers da sua geração. Nascido na década de 1970, o músico paulistano, que já conta 33 anos de carreira, assina 20 lançamentos autorais entre CDs, DVDs e álbuns digitais. Com uma proposta de levar a música instrumental aos mais diversos públicos, Michel apresenta sua guitarra em todos os lugares onde se encontram ouvidos atentos, sem restrições. Essa postura levou o músico a buscar alternativas dentro cena da música instrumental de São Paulo, incluindo eventos com entrada franca como Sagrada Música (2010 a 2020), Luthieria Oficina das Cordas (2010 a 2020), Som na Frente – Virtuose Escola de Música (desde 2007), Play Jazz e Jazz no Limoeiro, entre outros. Foi destaque em diferentes mídias, que vão desde programas de TV aberta como o Programa do Jô (Globo) e Metrópolis (TV Cultura), jornais de grande circulação como Folha de S. Paulo e O Globo, mídia especializada como as revistas Guitar Player, Guitarload, Cover Guitarra, Guitar Class, Guitarristas Y Bajistas (Argentina), além de blogs e fanzines de apreciadores de música. Também atua como professor. No show, ele estará acompanhado do Trio Mangabeira, um dos grupos artísticos ligados ao Instituto Anelo. Integrado por Josias Teles (baixo), Isac Lima (bateria) e Renan Augusto (guitarra), foi formado em 2019. A proposta do grupo é unir a identidade musical de cada um em prol de uma única e nova sonoridade, fincada na diversidade da música brasileira.

 

Orquestra Anelo – Iniciada em 2018, a Orquestra Anelo é o maior grupo instrumental pertencente ao Instituto Anelo. Dedicada à formação de repertório arranjado, tendo a música brasileira e o jazz americano como referência estética, a Orquestra Anelo conta atualmente com cerca de 22 integrantes entre músicos profissionais que são professores e/ou colaboradores do Instituto Anelo. Sua formação deriva de uma tradicional big band de jazz, contendo os instrumentos da seção rítmica – piano, guitarra, baixo e bateria – e da seção de sopros – saxofones, trompetes e trombones -, além de também incorporar instrumentos característicos da música brasileira tais como o acordeon, o violão, o cavaquinho, a percussão e a flauta transversal. Os arranjos executados pela Orquestra Anelo são elaborados especialmente para sua formação instrumental. Dirigida pelo músico, compositor e arranjador Guilherme Ribeiro, a Orquestra Anelo vem se apresentando regularmente na cidade e região de Campinas em teatros, parques, praças, escolas e eventos culturais, além de ter participado de projetos com grandes nomes da música brasileira, como Titãs, Gabriel Grossi e Filó Machado.

 

Patuscanto – Coletivo interdisciplinar artístico voltado para a infância que surgiu em 2020, a partir da vontade de criar músicas em conjunto. Formado por artistas da música, dança, teatro e visualidades, o grupo mescla as linguagens para produzir shows, oficinas e contação de história. Inicialmente financiado pelo ProAC em 2021, o Patuscanto continuou a circular por escolas públicas e espaços culturais de Campinas e região. O show reúne músicas autorais, cantigas brasileiras e histórias. Tudo isso com uma variedade de instrumentos e ritmos brasileiros, chamando o público para dançar e percutir junto. É formado por: Paula Lins (vocal, violão, ukulele e percussão), Mariana Talamini (vocal, violão, violino e percussão), Clarice Ariela (vocal, escaleta, percussão e contação), Fernanda Nunes (dramaturgia) e Analu Geraldini (vocal, flauta doce, percussão e contação).

 

Pretas e Pretos – Um dos grupos de representatividade pertencente ao Instituto Anelo, foi formado em 2021 a partir da necessidade de valorizar e destacar a presença do negro na instituição, cujo quadro de professores é de maioria preta, portanto, um reflexo da sociedade brasileira – atualmente, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 54% dos brasileiros são negros. O grupo é formado por professores e colaboradores da instituição e aposta em um repertório de composições próprias, como “Deixa a Senzala”, “Carapuça” e “SambaColá”, todas de autoria de Luccas Soares, e “Queremos Mudar o Mundo”, de Josimar Prince, mescladas com standards da música brasileira que se tornaram sucesso com artistas negros, como “Tributo a Martin Luther King”, de Wilson Simonal e Ronaldo Bôscoli, e “Olhos Coloridos”, do cantor e compositor Macau, canção esta consagrada na voz de Sandra de Sá. É integrado pelos seguintes músicos: Baía Fagundes (acordeon), Deivyson Fernandez (piano), Edmilson Santos (sax tenor e flauta), Filipe Lapa (bateria), Gláucio Sant’Ana (trombone), Guipson Pierre (voz), Henrique Simas (baixo), Islan Santos (trompete), Jéssica Rodrigues (trompete), Josias Teles (baixo), Josimar Prince (violão e voz), Josimar Prince (voz), Levi Macedo (voz), Luccas Soares (voz), Matheus Soares (sax barítono), Michael Charles Santiago (voz), Regina Lima (sax alto), Renan Augusto (guitarra), Renata Alves (voz), Renato Frederico (percussão), Romulo Oliveira (voz, sax soprano e flauta) e Simone Janita (voz).

 

Shinobu Saito & Rafael dos Santos – Duo apresenta o show “Mini Orquestra”. Shinobu Saito é doutora em música (performance em violino), formada pela Universidade de Iowa, nos EUA. Trabalha desde 1981 com o método Suzuki, tendo obtido excelentes resultados no ensino de instrumentos de cordas. Em junho de 2006 obteve o “Teacher Trainer Certificate” da Associação Suzuki Americana (SAA), tornando-se a primeira professora no Brasil qualificada para treinar professores do método Suzuki. Shinobu aplica o seu conhecimento de orquestras infantis e jovens aprendidas nos Estados Unidos em seu estúdio aqui no Brasil com as orquestras formadas por seus alunos. Já Rafael dos Santos é pianista, compositor e arranjador. Atua regularmente em shows, concertos e na produção de CDs. Foi docente do Departamento de Música da Unicamp de 1981 a 2019 e, desde então, atua como professor colaborador do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Artes. Em 1989, participou da criação do curso de Bacharelado em Música Popular da Unicamp. É doutor em Piano Performance pela Universidade de Iowa, EUA, e desenvolve trabalhos na área de música popular, liderando o grupo de Pesquisa “Música Popular: história, linguagem e produção”, criado em 2003.

 

Silmara Drezza – Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Música da Unicamp, sob orientação do Prof. Dr. Angelo José Fernandes. Graduada em Licenciatura Plena em Música pela Faculdade de Música Carlos Gomes, de São Paulo, e em piano pelo Instituto Gomes Cardim, em Campinas. Participou da formação para professores em Pedagogia Musical na École de Musique Martenot e Chalons Sur Marne (França); Creating Artristy Butler University (EUA), com os Maestros Henry Leck, Dr Erick Stark e Dr. Tim Brimmer; Primer Taller de Formation de Directores Corales, em Caracas (Venezuela), com Maria Guinand e Alberto Grau, dentre outros workshops com renomados maestros no Brasil. Realiza palestras e workshops em várias cidades e estados do Brasil para formação de regentes de coros infantis e infantojuvenis. Foi regente do Coral Infantil do Colégio Divino Salvador por 22 anos, do Coral Infantojuvenil Pio X por 14 anos, e do Coral Cênico Infantil Dons & Tons por quatro anos. Desde 2002, é Regente do Coral Infantil ThyssenKrupp, de Campo Limpo Paulista, e do Coral Heliópolis do Instituto Baccarelli, no qual também atua como coordenadora pedagógica da área coral.

 

Susanna Stivali & Anelo 6teto – A cantora italiana Susanna Stivali é natural de Roma e estudou piano e canto clássico com M. Luigi Rumbo, maestro na Capela Sistina. Sua aproximação com o jazz lhe valeu, em 1997, uma bolsa de estudos no tradicional Berklee College of Music em Boston, nos Estados Unidos. Ao longo de sua carreira, colaborou com nomes como Lee Konitz, Miriam Makeba, Giorgia (MTV Unplugged), Fred Hersch, Jaques Morelenbaum, Aaron Goldberg, Rita Marcotulli, Lea Freire e Francis Hime, entre outros. Recentemente, realizou uma série de shows com o Trio Corrente na Itália. Tem quatro discos lançados: “A Secret Place” (2003), “Piani DiVersi” (2021), “Caro Chico” (2015) e “Going For The Unknown – Homage To Wayne Shorter” (2016). Como compositora, escreveu para cinema, teatro e televisão, tendo atuado em estúdios e emissoras como Warner Bros, RAI, Walt Disney Italy e Dreamworks. Como arte educadora, está à frente da cátedra de Jazz Vocal no Conservatório Estatal de Música L. Refice, em Frosinone. É parceira do Instituto Anelo desde 2015. Em sua apresentação no festival, ela será acompanhada pelo Anelo 6teto, um dos grupos artísticos ligados ao Instituto Anelo e que é integrado pelos seguintes músicos: Deivyson Fernandez (piano), Filipe Lapa (bateria), Josias Teles (baixo elétrico), Marcelo Louback (saxofones e flautas), Leo Pelegrin (percussão) e Vinicius Corilow (saxofones, flautas e clarinete). Formado em 2019 para representar o Anelo no Standard Bank National Youth Jazz Festival, na África do Sul, o grupo tem um disco digital lançado, intitulado “Anelo 6teto Live!”.

 

SAIBA MAIS

Siga o Anelo nas redes sociais:  Facebook (facebook.com/institutoanelo), Instagram (@institutoanelo), YouTube (Instituto Anelo Oficial), X (@AneloInstituto) e Linkedin (Instituto Anelo)

Scroll to Top
Scroll to Top