+Eventos

Saiba tudo sobre a segunda edição do Transforma, o festival do Instituto Anelo

O Instituto Anelo realiza, entre os dias 29 e 31 de outubro, a segunda edição do festival de música Transforma. Criado em 2020, com o objetivo de oferecer a alunos e à comunidade em geral o contato com artistas, músicos e profissionais reconhecidos tanto no Brasil quanto no Exterior, o evento, assim como ocorreu no ano passado, será online, no canal do Instituto Anelo no YouTube.

A programação da segunda edição do Transforma terá shows de Sérgio Britto, dos Titãs; de Hilda Maria, cantora santista radicada em São Paulo que vem se destacando no cenário da música popular; de Mateus Sartori, cantor, músico e gestor cultural (foi secretário de Cultura de Mogi das Cruzes); do cantor, compositor, multi-instrumentista e produtor Filó Machado e seu neto, Felipe Machado; além dos seguintes grupos ligados ao Instituto Anelo: Mangabeira Trio, Candieiro Quarteto, Mistura de Tempero e Orquestra Anelo. As apresentações foram previamente gravadas.

Apresentação de Sérgio Britto, da banda Titãs, com músicos do Anelo

Além dos shows, o Transforma 2021 terá duas lives com convidadas especiais, nas quais serão debatidos temas de interesse pedagógico e também artístico. Na primeira, chamada Boomwhackers na Educação Musical, a instrumentista e educadora musical Ingrid Santos falará sobre o uso de tubos percussivos melódicos feitos de plástico (os boomwhackers do título) no ensino de música para crianças, com mediação de Audrey Caroline e Léo Pelegrin, ambos professores do Instituto. Na segunda, a advogada Silvia Venna, reconhecida por seu trabalho junto a artistas e gravadoras e que também é consultora jurídica do Anelo, vai debater o tema Música Digital & Direitos Autorais. A mediação será de Luccas Soares, coordenador geral do Instituto.

Curador do Transforma 2021, Guilherme Ribeiro avalia que a realização da segunda edição do festival consolida o evento na agenda do Instituto Anelo e também na agenda cultural da cidade de Campinas. “É um festival que teve seu início em plena pandemia. Apesar de todas as incertezas, de todas as dúvidas e cancelamentos que o setor cultural como um todo passou, o Instituto Anelo insistiu no festival, e o Transforma, ainda que com pequenas modificações e ajustes, aconteceu no ano passado”, conta Guilherme.

Vale lembrar que, em 2020, o Instituto Anelo completou 20 anos de atividade. A ideia original era realizar um festival presencial para comemorar a data, o que não foi possível devido ao isolamento social imposto pela Covid-19. Dessa forma, a programação do primeiro Transforma foi composta de lives no YouTube, com convidados e mediadores, cada um em sua casa, debatendo temas relacionados ao ensino da música e à carreira de músico profissional. Este ano, com o avanço da vacinação, já foi possível, por exemplo, gravar shows.

“As condições melhoraram um pouco e o cenário é outro, ainda que com restrições. Mas, com muito cuidado, a gente vai para esta segunda edição. Eu acho que isso é uma maneira de estabelecer esse evento e lutar para que ele perdure e que a gente consiga realizá-lo todos os anos, tornando este festival cada vez maior, trazendo atrações interessantes, nomes de peso e ampliando e expandindo essa ideia”, completa Guilherme, que também é regente da Orquestra Anelo.

Show de Filó Machado e seu neto Felipe

Fundador e coordenador geral do Anelo, Luccas Soares afirma que está muito feliz em poder realizar a segunda edição do Transforma. “E podendo fazer mais do que fizemos na primeira edição”, comemora. “Essa segunda edição está muito interessante. Eu, particularmente, estou muito feliz em ver a integração muito forte entre os músicos convidados com os músicos do Instituto Anelo. Todas as atrações têm esse intercâmbio, e esse é um ponto muito interessante”, completa Luccas, lembrando que, nas apresentações, os convidados especiais estarão acompanhados por artistas ligados ao Anelo.

Confira abaixo a programação e as atrações do Transforma 2021

Dia 29/10/2021 (SEXTA-FEIRA)

  • 19h – Mangabeira Trio
Mangabeira Trio, grupo de música instrumental

Formado por Renan Augusto (guitarra), Josias Teles (contrabaixo) e Isac Lima (bateria), o Mangabeira Trio surgiu de um desejo antigo dos integrantes, amigos de longa data. Eles, que já se reuniam há tempos para tocar juntos, resolveram oficializar o grupo com o objetivo de difundir a música instrumental. Ligado ao Instituto Anelo, a ideia do Mangabeira Trio é unir a identidade musical de cada integrante em prol de uma única e nova sonoridade fincada na diversidade da música brasileira, a principal influência do trio, que, aliás, já pensa em gravar um álbum apenas com trabalhos autorais.

  • 20h – Sérgio Britto

Compositor, cantor, instrumentista e integrante da banda Titãs, parceira do Instituto Anelo desde 2018, Sérgio Britto vem desenvolvendo nos últimos anos, paralelamente ao grupo, um projeto solo com personalidade e características próprias. Trata-se, a grosso modo, de música pop com elementos da bossa nova e MPB. Com quase 40 anos de carreira, Sérgio Britto é autor de sucessos como Epitáfio, Homem Primata, Diversão, Enquanto Houver Sol, Flores, Go Back, Porque Eu Sei Que é Amor, Miséria e Comida, entre outros. No seu penúltimo projeto solo gravou, com participação especial de Rita Lee, a premiada Purabossanova, eleita melhor música do ano pelo júri da rádio MPB FM em 2014. São destaques também Aqui Neste Lugar, com participação especial de Negra Li, e Como Iguais, com Luiz Melodia. Em seu novo trabalho, lançado em parceria com o Midas Music, Sérgio continua explorando a trilha aberta nos seus discos solo anteriores. Desta vez, serão lançadas duas canções (um compacto com lado A e lado B), a cada três meses, até completar um total de 12, fechando o álbum. Na apresentação no Transforma, Sérgio Britto estará acompanhado dos músicos do Mangabeiro Trio, da cantora Júlia Toledo, que é regente dos coros do Instituto Anelo, e da trompetista Jéssica Rodrigues, integrante da Orquestra Anelo.

Dia 30/10/2021 (SÁBADO)

  • 10h – Live: Boomwhackers na Educação Musical
Ingrid Santos

Tendo como convidada especial Ingrid Santos, a live vai abordar a utilização dos boomwhackers na musicalização de crianças. Formada em licenciatura em música pela Universidade Metropolitana de Santos (Unimes) e com alguns cursos na área da musicalização, como o Curso dos Boomwhackers (tubos percussivos melódicos feitos de plástico ou PVC) do professor Uirá Kuhlmann. Atualmente, faz o Curso de Capacitação em Flauta Doce Soprano pela Fundação Sopro Novo, da Yamaha, estuda saxofone popular na Emesp Tom Jobim e Bacharelado em Música Popular na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Mediação: Léo Pelegrin (professor de bateria e percussão) e Audrey Caroline (professora de Musicalização Infantil), ambos do Instituto Anelo.

  • 14h – Live: Música Digital & Direitos Autorais

Tendo como convidada a advogada Silvia Venna, a live discute um tema importante na era digital: os direitos autorais. É bacharel pela Faculdade de Direito da Universidade Mackenzie (1986), com especialização em Direito Internacional Privado e Contratos de Comércio Internacional com ênfase em Propriedade Intelectual pela Université de Paris 2 – Sorbonne Panthéon (1989). Advogada especializada em consultoria e contratos nas áreas de Direito Autoral, Entretenimento e Economia Criativa, com experiência em assessoria compreensiva às produções nacionais e internacionais de obras audiovisuais e musicais, acompanhando o Produtor Executivo nas etapas de gestão de projetos. Atua, ainda, nas áreas de direito digital, gestão de patrimônio autoral, rights clearance e licenças de obras pré-existentes, além de prestar consultoria a empresas nacionais e estrangeiras para realização de negócios de entretenimento, arte e mídias digitais. Possui mais de 20 anos de atuação como advogada, gerente e diretora jurídica em empresas de comunicação e entretenimento como HBO Brasil, Grupo Folha, UOL, Provedor iG e Grupo Webforce Networks. Sócia-fundadora do escritório Venna Advogados, em São Paulo. Conselheira da ABRAWEB – Associação Brasileira de Webdesigners e Webmasters. Membro da Comissão de Mídia e Entretenimento do Instituto dos Advogados de São Paulo – IASP.

Silvia Venna

Mediação: Luccas Soares, fundador e coordenador geral do Instituto Anelo

  • 19h – Candieiro Quarteto
Integrantes do Candieiro Quarteto

O Candieiro Quarteto nasceu do encontro de músicos de diferentes cidades na cena musical de Campinas (SP). Graças às afinidades de suas trajetórias individuais, Islan Santos (trompete), Filipe Lapa (bateria e percussões), Henrique Simas (contrabaixo acústico) e Nicolas Silva (saxofone) encontraram na produção artística negra, indígena e periférica o ponto fundamental de seu desenvolvimento estético. Influenciado pela música de matriz africana, afro-brasileira e pelo jazz, o quarteto desenvolve, desde 2019, uma sonoridade que se destaca por sua formação diferenciada e pela liberdade criativa de suas performances e composições. O Candieiro visa, de forma independente, a difusão e a manifestação da arte por meio da música improvisada.

  • 20h – Mistura de Tempero
Mistura de Tempero: repertório com clássicos do choro

Formado por Eduardo Henrique (cavaquinho), Edmilson Santos (flauta, saxofone e clarinete), Renato Frederico (pandeiro) e Daniel Machado (violão de 7 cordas), o grupo Mistura de Tempero resgata a sonoridade do choro, gênero brasileiro que constitui, ao lado do samba e do maxixe, as bases da nossa música popular instrumental. O quarteto surgiu em 2010, a partir do encontro de amigos estudantes de música do Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, de Tatuí (SP), que tinham em comum o desejo de tocar e pesquisar o choro. Desde então, o Mistura de Tempero vem se apresentando em bares e centros culturais da cidade de Campinas e região, além de fazer parte dos grupos artísticos do Instituto Anelo. Excepcionalmente, no Transforma, Bruno Luis Gonçalves substitui Daniel Machado no violão de 7 cordas devido a um compromisso previamente agendado pelo músico.

  • 21h – Hilda Maria
A cantora Hilda Maria: raízes da música brasileira

Hilda Maria é cantora e compositora nascida em Santos (SP). Com formação que percorre do erudito ao popular, ao longo de 21 anos de carreira desenvolve seu trabalho nas raízes da música popular brasileira, bem evidente na variedade de ritmos de suas composições presentes em seu primeiro disco, Feita de Rendas (2016), que em 2017 figurou na lista de menção honrosa da seleção de melhores do ano do site Embrulhador. Desenvolve seu trabalho de compositora também no universo infantil, em shows com o Núcleo Caboclinhas, no qual atua e compõe trilhas para espetáculos. Como intérprete, destaca-se por seu trabalho de pesquisa da obra de compositores e cantores brasileiros. Em 2015, iniciou uma homenagem a Ademilde Fonseca com o show Choro Cantado, que vem circulando pelo circuito Sesc, por teatros municipais e viradas culturais. Em 2019, estreou, com a direção musical de Paulo Serau, o show A Voz do Brasil – Carlinhos Vergueiro, um cronista brasileiro. Também circula com o show De Gonzagão a Dominguinhos, ao lado de Paulo Serau e Luciano Ruas. É cantora do Grupo João de Barro, Conjunto João Rubinato (trabalho no qual desenvolve pesquisa sobre a obra de Adoniran Barbosa e a estética das cantoras do rádio da década de 1950) e do Núcleo Caboclinhas. Atualmente, prepara-se para lançar o disco A Voz do Brasil, em parceria com Paulo Serau. Na apresentação no Transforma, Hilda Maria estará acompanhada dos músicos do Mistura de Tempero.

Dia 31/10/2021 (DOMINGO)

  • 19h – Mateus Sartori
Apresentação do cantor Mateus Sartori

Músico, arquiteto urbanista, turismólogo, gestor cultural e empresário, cursou Gestão Cultural no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc e é pós-graduado em Gerente de Cidades (FAAP) e Cultura: Plano e Ação (USP). Mateus Sartori nasceu em Franca (SP), onde teve os primeiros contatos com a música, graças aos saraus familiares com o avô Waldomiro, multi-instrumentista, e mãe Cidinha. Aos 13 anos, já morando em Mogi das Cruzes, ingressou em corais da cidade, chamando a atenção da maestrina Dulce Primo e da pianista Alexsandra Grossi, que aprimoraram sua musicalidade e o direcionaram nos estudos na capital paulista. Estudou na Escola Municipal de Música de São Paulo e na Universidade Livre de Música Maestro Tom Jobim (atual Emesp). Paralelamente à carreira musical, cursou Arquitetura. Lançou o primeiro disco, Todos os Cantos, em 2006. Com produção musical de Mário Gil, o CD conta com a participação de Guinga, Renato Braz e Nailor Proveta. Depois desse disco, lançou Dois de Fevereiro (2007), uma homenagem a Dorival Caymmi; 100 Anos de Ataulfo Alves (2009); 100 Anos de Adoniran Barbosa (2010); Franciscos (2011); e Que se Deseja Rever (2013), ao lado de Guilherme Ribeiro, dedicado ao centenário do rei do baião, Luiz Gonzaga. Entre 2013 e 2020, foi secretário municipal de Cultura de Mogi das Cruzes. Seu mais recente álbum é Na Volta que o Mundo Dá (2020). É autor do livro Política Cultural: Uma Construção Coletiva. Na apresentação no Transforma, Mateus Sartori será acompanhado por Guilherme Ribeiro (piano), Fernando Baeta (guitarra), Daniel Pezim (contrabaixo) e Jéssica Rodrigues (trompete).

  • 20h – Filó Machado & Felipe Machado

Filó Machado é cantor, compositor, multi-instrumentista, arranjador e produtor. Nascido em Ribeirão Preto (SP), tem 70 anos de idade e 60 de carreira, completados em 2021. Com 13 discos gravados e uma indicação ao Grammy Latin Jazz, trabalhou com importantes nomes da música brasileira e internacional, tanto em gravações como nos palcos, tendo se apresentado em espaços e eventos icônicos como o Carnegie Hall, em Nova York, e o Toronto Jazz Festival, no Canadá. Entre os artistas com os quais atuou estão o pianista, compositor e arranjador francês Michel Legrand (1932-2019), ganhador de três Oscars; o cantor de jazz norte-americano Jon Hendricks (1921-2017); o guitarrista de jazz francês Sylvain Luc; o baixista japonês Tetsuo Sakurai; o guitarrista de jazz norte-americano John Patitucci; e os brasileiros Dori Caymmi, Gal Costa, João Donato, Raul de Souza, Leny Andrade, Djavan e Arismar do Espírito Santo.

Felipe Machado é cantor, compositor, instrumentista e neto de Filó Machado. Iniciou sua carreira aos 6 anos de idade no musical A Bela e a Fera. Ele também atuou em mais dois espetáculos do gênero: Daniel 30 Anos, o Musical, no qual interpretou o cantor Daniel quando criança, e Hoje é Dia de Maria – o Musical, no papel do menino bóia fria e também como violonista. Participou de programas de televisão como Sr. Brasil e Ensaio, da TV Cultura, e The Voice Kids Brasil, da TV Globo, na edição de 2018 (chegou até a terceira fase do reality show). Atualmente, estuda no Conservatório Souza Lima, em São Paulo, e pratica violão, harmonia e improvisação vocal com o avô, seu parceiro de lives e workshops realizados durante a pandemia.

Na apresentação no Transforma, Filó e Felipe Machado estarão acompanhados dos músicos Julia Mazzotti Toledo (piano), Vinicius Corilow (saxofones), Josias Teles (baixo) e Filipe Lapa (bateria).

  • 21h – Orquestra Anelo
Orquestra Anelo: show com convidados especiais

Iniciada em 2018, a Orquestra Anelo é o maior grupo instrumental ligado ao Instituto Anelo. É dedicada à formação de repertório arranjado, tendo a música brasileira e o jazz americano como referências estéticas. Sua formação deriva de uma tradicional big band de jazz, com instrumentos da seção rítmica – piano, guitarra, baixo e bateria – e da seção de sopros – saxofones, trompetes e trombones. Mas, também incorpora instrumentos característicos da música brasileira tais como o acordeon, o cavaquinho, a percussão e a flauta transversal. Atualmente, conta com 22 integrantes entre professores e colaboradores do Instituto Anelo. Ao longo da pandemia do Coronavírus (Covid-19), lançou uma série de vídeos no YouTube, entre eles Forró na Vovó (composição de Filó Machado, que participou da gravação juntamente com seu neto Felipe), Cadê a Marreca (de Arismar do Espírito Santo, com a participação do próprio), Todas Direções (de Guilherme Ribeiro e Gabriel Grossi, com a participação de Grossi na gaita); e Comida, dos Titãs, com participação da banda e dos coros do Instituto Anelo. O show da Orquestra Anelo no Transforma terá a participação especial de Hilda Maria, Mateus Sartori, Filó e Felipe Machado, Fernando Baeta e Luccas Soares.

PATROCÍNIO

O projeto Instituto Anelo: Música e Cidadania – Plano Anual 2021 tem como patrocinadora master a CPFL Energia, por meio de parceria com o Instituto CPFL, e também conta com patrocínio da Unimed Campinas, Amphenol e Stoller, via Lei Federal de Incentivo à Cultura e Programa de Ação Cultural – ProAC/ICMS.

O Instituto Anelo também conta com o apoio da Associação Beneficente Maria e Tsu Hung Sieh e do Instituto Robert Bosch. Para a realização do Transforma 2021, contou com o apoio da Chorus Escola de Música.

SERVIÇO

Festival Transforma 2021
Data: De 29 a 31 de outubro
Onde: Canal do Instituto Anelo no YouTube (youtube.com/institutoanelooficial)
Grátis

Programação

  • 29/10/2021 (SEXTA-FEIRA)

19h – Show Mangabeira Trio
20h – Show Sérgio Britto

  • 30/10/2021 (SÁBADO)

10h – Live: Boomwhackers na Educação Musical, com Ingrid Santos
14h – Live: Música Digital & Direitos Autorais, com Silvia Venna
19h – Candieiro Quarteto
20h – Mistura de Tempero
21h – Hilda Maria

  • 31/10/2021 (DOMINGO)

19h – Mateus Sartori
20h – Filó e Felipe Machado
21h – Orquestra Anelo