+Eventos

No aniversário de 22 anos, Anelo valoriza a produção musical “da casa”

O Instituto Anelo completa 22 anos neste mês de maio e, como parte das comemorações, lança três produções audiovisuais que valorizam o trabalho autoral de músicos ligados à instituição. Os vídeos estreiam no YouTube, Facebook e Instagram, sempre aos domingos, já a partir do dia 8, quando se celebra o Dia das Mães.

Essas produções são os primeiros frutos do Núcleo de Orientação de Carreira (NOC), projeto nascido em 2021, sob coordenação do músico, compositor e arranjador Guilherme Ribeiro. O objetivo, como o nome já diz, é auxiliar os músicos do Anelo, sejam eles professores, colaboradores ou parceiros, no desenvolvimento de suas carreiras, o que inclui a possibilidade de fazer o registro fonográfico de suas composições no próprio estúdio do Instituto, além da produção de um videoclipe.

Nesse primeiro momento, serão lançadas as seguintes músicas: Clareia, da pianista Julia Mazzotti Toledo (estreia em 8/5); O Terceiro Trem, do saxofonista Vinicius Corilow (15/5); e Cortinas de Sal, do cantor, violonista e guitarrista Josimar Prince (29/5). Os três são professores da instituição e fazem parte da Orquestra Anelo, big band de jazz que é o maior grupo instrumental pertencente ao Instituto Anelo.

Guilherme Ribeiro conta que o Instituto Anelo sempre foi bastante procurado para se apresentar, com seus músicos e grupos, em eventos de naturezas diversas, de shows corporativos e festivais até eventos públicos organizados por prefeituras, por exemplo.

“O NOC surge com o objetivo de olhar para esses grupos, ver quem são, que tipo de repertório têm e auxiliá-los na construção desse repertório numa ideia de autoprodução, ou seja, fazer com que eles se preocupem em manter um release atualizado, façam uma sessão de fotos etc.”, explica.

E, dentro dessa proposta de orientar e apontar caminhos, foi dada a possibilidade para esses artistas gravarem seu trabalho autoral, com registro em áudio e vídeo. Para tanto, é realizado um tipo de edital interno, no qual o interessado envia sua proposta para avaliação e aprovação, tanto por parte do NOC quanto da Coordenação do Anelo, uma vez que o Instituto, nesse caso, assume o papel de produtor fonográfico, arcando com todos os custos envolvidos.

Segundo ele, as gravações começaram em março e, no final de abril, já haviam sido produzidas seis músicas, das quais três serão apresentadas em vídeo agora em maio para o público – as demais serão lançadas em breve. “É uma grande oportunidade, especialmente para quem nunca gravou ou não tem tanta experiência em estúdio. As pessoas vão se surpreender bastante com o resultado”, completa.

AS MÚSICAS

Da esq. para a dir.: Cecília Collaço, Julia Toledo, Tomaz Lambert e Guilherme Ribeiro (Foto: Marlon Rissatto)

Clareia, de Julia Toledo, é um tema instrumental composto em julho de 2021 que, segundo a autora, resume o momento em que ela se encontra, “o vaivém rotineiro, dividindo minha vida entre casa, estudo e trabalho” – Julia mora em Valinhos, trabalha em Campinas e estuda na EMESP Tom Jobim, em São Paulo, e na Unicamp.

A composição, conta, surgiu a partir de um hábito que ela desenvolveu, na pandemia, de tocar livremente antes de estudar. Com isso, algumas ideias brotam e, se acha interessante, começa a desenvolver. Foi o que aconteceu com Clareia, que considera uma música “solar” e é seu primeiro trabalho autoral a ser gravado.

Para tanto, ela foi acompanhada pelos músicos com quem mais tem tocado atualmente: a baterista Cecília Collaço e o baixista Tomaz Lambert. Além disso, para Julia, gravar no Instituto Anelo foi muito especial, por tratar-se de um lugar importante no seu desenvolvimento enquanto artista e ao qual sempre será grata.

Da esq. para a dir.: Filipe Lapa, Henrique Simas e Vinicius Corilow (Foto: Marlon Rissatto)

O Terceiro Trem, de Vinicius Corilow, também é um tema instrumental e que foi gravado, segundo o autor, em um formato inovador para a música instrumental brasileira, mas que é bastante comum no jazz: saxofone, baixo e bateria. Ou seja, sem um instrumento harmônico como o piano, por exemplo.

“Eu compus essa música em 2009, para o recital de conclusão de curso na Unicamp. Gravei até que numa qualidade legal, mas não lancei e ficou na gaveta. E também não toquei mais”, conta.

Quando surgiu a oportunidade de fazer a gravação pelo Instituto Anelo, Vinicius decidiu regravar O Terceiro Trem nesse formato de trio com o qual já vinha trabalhando desde o final do ano passado. Segundo ele, a música sugere uma jornada sonora, trilhando por diferentes cenários harmônicos e também por diversos ritmos como a marcha-rancho, o maracatu e o samba.

O cantor, compositor e instrumentista Josimar Prince (Foto: Marlon Rissatto)

Cortinas de Sal, por sua vez, tem melodia e harmonia compostas por Josimar Prince, a partir de letra assinada por Vado Perissinotto (confira abaixo). “É uma letra muito bonita, que fala sobre religiosidade, de religiões de matriz africana. Parece que a letra foi feita pra mim, pra eu musicar. O encaixe foi perfeito”, diz Prince. E completa: (O arranjo) Chegou numa instrumentação bacana, moderna, com contrabaixo acústico muito estiloso, percussão, piano, improviso de sax, ficou muito bonito”.

Vado Perissinotto conta que escreveu a letra em 2003, após uma conversa sobre a data de casamento de seus pais: 22 de abril, Dia do Descobrimento do Brasil. “Essa letra ficou adormecida, até me esqueci dela”, diz. Até o dia em que pegou um violão que estava guardado e encontrou a letra no bolso da capa do instrumento. A letra passou por outros músicos até chegar a Josimar Prince e, enfim, ser musicada. “Ficou muito bonito.”

PATROCÍNIO

O projeto Instituto Anelo: Música e Cidadania – Plano Anual 2022 tem como patrocinadora master a CPFL Energia, por meio de parceria com o Instituto CPFL, e também conta com patrocínio da Unimed Campinas, CI&T e Instituto Omni, via Lei Federal de Incentivo à Cultura e Programa de Ação Cultural – ProAC/ICMS. O Instituto Anelo também conta com o apoio da Associação Beneficente Maria e Tsu Hung Sieh e do Instituto Robert Bosch.

SERVIÇO

Programação dos 22 anos do Instituto Anelo – Lançamento de vídeos do Núcleo de Orientação de Carreira (NOC)
Quando: Dias 1º, 8, 15, 22 e 29 de maio de 2022
Plataformas:
YouTube
Facebook
Instagram (@institutoanelo)

PROGRAMAÇÃO

8 de maio de 2022 (Dia das Mães)

  • Vídeo: Clareia
    Horário da estreia: 0h01
    Composição e arranjo: Julia Toledo
    Direção geral: Guilherme Ribeiro
    Produção executiva: Jéssica Rodrigues
    Captação de áudio: Deivyson Fernandez e Romulo Oliveira
    Mixagem de áudio: Fernando Baeta
    Captação de imagens e edição de vídeo: Marlon Rissatto

Músicos: Julia Toledo (piano), Guilherme Ribeiro (efeitos), Tomaz Lambert (baixo) e Cecília Collaço (bateria)

15 de maio de 2022

  • Vídeo: O Terceiro Trem
    Horário da estreia: 0h01
    Composição e arranjo: Vinicius Corilow
    Direção geral: Guilherme Ribeiro
    Produção executiva: Jéssica Rodrigues
    Captação de áudio: Deivyson Fernandez e Romulo Oliveira
    Mixagem de áudio: Fernando Baeta
    Captação de imagens e edição de vídeo: Marlon Rissatto

Músicos: Vinicius Corilow (saxofone soprano), Henrique Simas (baixo) e Filipe Lapa (bateria)

29 de maio de 2022

  • Vídeo: Cortinas de Sal
    Horário da estreia: 0h01
    Composição: Josimar Prince (música) e Vado Perissinotto (letra)
    Arranjo: Josimar Prince
    Direção geral: Guilherme Ribeiro
    Produção executiva: Jéssica Rodrigues
    Captação de áudio: Deivyson Fernandez e Romulo Oliveira
    Mixagem de áudio: Thiago Santana
    Captação de imagens e edição de vídeo: Marlon Rissatto

Músicos: Josimar Prince (voz e violão), Guilherme Ribeiro (piano), Henrique Simas (baixo), Roberto Peres, o Magrão (percussão) e Nicolas Silva (saxofone alto e flauta)

Letra:

“Já faz muito tempo, em que velas ao vento, perdidas no mar vieram atracar, onde viria ser a Bahia.
Fantasias vestindo descalços, alegria naquele quintal, colorida mentira, quem não diria que ali nascia o Carnaval.
Ouro era pau, Cortinas de Sal na baía… escondiam o que ia acontecer… do verde e amarelo, sombra ao capital, chegaria com o sol a verdade no amanhecer.
Do aceno amigo, do ingênuo cocar, um grito então foi ouvido, até onde o sentido podia alcançar:
O Iahô Kaô Xangô, vem ver o teu filho chorar…
O Adoiá Iemanjá leva de volta pro mar…
Oi Olorum Mamãe Oxum traga de volta a luz…
Pai Oxalá vem nos salvar…
É nossa, a Terra da Santa Cruz.”